Você sabe o que é a asma?

asmaEmbora seja uma das condições crônicas mais comuns em todo o planeta, as causas da doença ainda não foram explicadas pela ciência.

Quarta-feira passada foi o Dia Mundial de Combate à Asma. Mesmo atingindo 10% dos brasileiros e 235 milhões de pessoas no mundo todo, a causa dessa doença inflamatória crônica ainda não foi encontrada pela medicina, já que há pacientes que são afetados por diferentes tipos de agentes irritantes. O que se sabe é que o pulmão de uma pessoa asmática é diferente do de um indivíduo saudável. Aparentemente, os brônquios do asmático são mais sensíveis, ficando inflamados ao menor sinal de irritação. Por isso, o primeiro passo é se manter longe desses agentes.

Por meio da análise clínica e dos resultados de exames, o médico pode classificar a gravidade da asma e escolher o tratamento mais indicado. E ela é classificada em quatro categorias gerais:

Grau 1: sintomas leves e intermitentes até dois dias por semana e até duas noites por mês, em geral com predomínio dos sintomas no inverno, por exemplo
Grau 2: sintomas persistentes e leves mais do que duas vezes por semana, mas não mais do que uma vez em um único dia
Grau 3: sintomas persistentes moderados uma vez por dia e mais de uma noite por semana
Grau 4: sintomas graves persistentes ao longo do dia na maioria dos dias e frequentemente durante a noite

Uma pessoa sem a doença geralmente só sofre de falta de ar quando se vê exposta a grandes fontes de irritação, como a fumaça gerada por um incêndio, por exemplo. Diante disso, seu organismo identifica os agentes irritantes e contrai a musculatura existente em volta do brônquio. Assim, o órgão é bloqueado para que o ar contaminado não entre nos pulmões. Em um paciente que tem asma, o mesmo processo acontece – só que os gatilhos geradores de irritação nos brônquios são muito menos intensos. A inalação de poeira ou até mesmo uma situação de estresse intenso podem causar muito desconforto.

Dentre os gatilhos mais comuns, ou seja, que afetam mais de 80% dos asmáticos, estão os ácaros, poeira, poluição, pólen, mofo, pelos de animais, fumaça de cigarro e partículas de insetos, além de substâncias químicas como tinta, desinfetantes e produtos de limpeza também podem desencadear uma crise. Infecções virais, como o resfriado comum ou a gripe, também constituem causa importante para o desencadeamento de uma crise de asma.

Alergias alimentares também podem causar crises de asma. Os alimentos que mais são citados pelos pacientes são ovos, leite de vaca, amendoins,soja, trigo, peixe, frutos do mar, saladas e frutas frescas, além de alguns conservantes e aditivos acrescentados aos alimentos industrializados.

Caso se veja diante de um quadro assim, a equipe da CEONG sugere que a consulta à um especialista deve ser feita o quanto antes. Isso porque a gravidade da asma pode evoluir com o passar do tempo e dificultar o seu tratamento.

Marque uma consulta conosco pelo telefone (11) 5522-3077 ou pelo nosso formulário de contato.

 

Alergias respiratórias, Saúde em geral , , ,

Comments are closed.