Seu filho vai mal na escola, foi submetido a avaliação de processamento auditivo central e o exame apresentou alteração! E agora, o que fazer?

Há como alternativas a terapia fonoaudiológica FORMAL e INFORMAL. Ambas irão estimular as habilidades auditivas identificadas como alteradas na avaliação de processamento auditivo central. Em geral, é um conjunto de atividades auditivas/verbais, auditivas/motoras e auditivas/verbais/motoras. Essas habilidades têm como objetivo desenvolver ou reabilitar as habilidades auditivas, que são necessárias para que possamos compreender a fala e os sons. Essas habilidades alteradas podem prejudicar o desempenho escolar.

Qual a diferença?

TERAPIA FORMAL – TREINAMENTO AUDITIVO EM CABINE

Consiste em um tratamento com número específico de sessões (entre 8 e 12 sessões) dentro de cabine acústica. As sessões devem ser realizadas duas vezes por semana pois em cada sessão é estimulado uma orelha. A estimulação de cada orelha é feita com intensidade específica e controlada pelo audiômetro e com tarefas repetitivas.

TERAPIA INFORMAL – TERAPIA FONOAUDIOLÓGICA

Consiste em um tratamento sem previsão de limite de sessões, isto é, dependerá da evolução do paciente e do comprometimento em realizar as tarefas a serem realizadas em casa dadas pela fonoterapeuta. Sendo semanal será feita uma ou duas vezes na semana, dependendo do grau de dificuldade. Se necessário será agendada uma reunião para trocas de informações com a profissionais da escola e/ou outros profissionais que acompanham o paciente (psicóloga, psicopedagoga, neurologistas). As tarefas são semelhantes à terapia formal, porém também, será trabalha dificuldades escolares e/ou fonoarticulatórios quando houver

Qual é a mais indicada?

Após o diagnóstico de alteração de processamento auditivo o mais indicado seria passar por avaliação fonoaudiológica , para verificar se há também comprometimento fonoarticulatórios ou escolar. A fonoterapeuta irá ver a necessidade de encaminhamento com outros profissionais (otorrinolaringologista, ortodondista, neurologista, psicopedagogo ou psicólogo). O treinamento auditivo é uma terapia complementar, portanto a necessidade de fazer e quando fazer o treinamento será estipulado pela fonoterapeuta.

A clínica CEONG possui todos os exames necessários e profissionais altamente habilitados para o correto diagnóstico e tratamento.

__
Fga. Sandra Maria Deutschmann realiza Avaliação do Processamento Auditivo Central e Terapia do Processamento Auditivo Formal.

Atende às quartas-feiras das 8h às 12h30, quintas-feiras das 8h às 17h30 e sextas-feiras das 8h às 13h.

 

Fga. Patricia Werner Kozseran Francki realiza Terapia do Processamento Auditivo Informal.

Atende às segundas-feiras das 8h às 12h30, terças-feiras das 8h às 17h30, quintas-feiras das 8h às 12h e sextas-feiras das 8h às 17h.

Audição, Desenvolvimento infantil, Fonoaudiologia

Comments are closed.