Fique longe do ozônio e curta o verão com mais segurança

sol-ozonioGás responsável pelo escudo da Terra que bloqueia os raios UVA e UVB do sol — o Ozônio — também está presente ao nível do solo, principalmente nas grandes cidades. Ele surge a partir da reação estimulada pelas altas temperaturas desta época entre a atmosfera e alguns poluentes e pode afetar a garganta e todo o trato respiratório.

Um dos efeitos desse tipo de poluente é levar o organismo a fechar as vias aéreas para limitar a amplitude da respiração e se defender dos seus efeitos nocivos. Na cidade de São Paulo, os maiores níveis de concentração ficam em parques como o Ibirapuera e o pico do Jaraguá, por exemplo.

Por mais estranho que possa parecer, apesar de serem vistos como espaços saudáveis e muito agradáveis para se estar em dias quentes, parques e jardins devem ser evitados nas horas do dia de maior insolação, por volta do meio-dia. Afinal, é justamente nesse período que geralmente ocorrem os mais altos níveis de ozônio.

As crianças e idosos em especial são as que mais precisam de atenção. Enquanto os pequenos podem desenvolver menor capacidade pulmonar devido a longas exposições ao ozônio, os mais velhos podem sofrer infecções na garganta por conta do ressecamento mais agressivo que o gás promove nessa parte do corpo.

Por isso, é muito importante estar sempre muito bem hidratado para que a garganta fique sempre úmida e, assim, mais apta para proteger contra invasores, como vírus e bactérias, e os efeitos da falta de umidade no ar.

É fundamental consultar um otorrinolaringologista sempre que houver dor, desconforto ou caso alguma alteração seja percebida. Fale conosco pelo telefone (11) 5522-3077 ou pelo formulário de contato e agende uma consulta.

Saúde em geral , , , , , , , , , ,

Comments are closed.