Como o horário de Verão afeta nossa saúde?

Uma medida comum em muitos países, o horário de verão, instituído pela primeira vez em 1931 com o objetivo de aproveitar melhor a luminosidade do dia nesta época do ano, reduz o consumo de energia nos horários de pico e, consequentemente, diminui o uso de energia gerada por termelétricas, que é mais cara e mais poluente do que a gerada pelas hidrelétricas.

O início do horário de verão, entretanto, pode exigir cuidados para a adaptação do organismo e provocar alterações na rotina, sobretudo com o retorno às atividades escolares e ao trabalho. A mudança no horário de sono traz inclusive modificações imediatas para o desempenho físico e o humor.

Segundo o fisiologista do exercício, Renato André Silva, a explicação é que nosso corpo tem ritmos compatíveis com presença e ausência de luz. “Alguns hormônios são secretados de acordo com a presença de luz. Quando você muda o seu horário de sono e de vigília, sente imediatamente modificações relacionada ao desempenho físico e aspectos psicológicos, como humor e motivação para atividades diárias. Isso se dá por conta do chamado ritmo circadiano”, justifica.

A mudança de horário afeta mais quem tem rotinas mais rígidas de trabalho. Mas para quem tem maior flexibilidade de tempo, o recomendado é tentar minimizar os efeitos da mudança.

Para amenizar os impactos, o fisiologista recomenda ajustes na rotina, como manter a carga horária de sono. “As pessoas reclamam que têm que acordar mais dedo e na primeira e segunda semana do horário de verão não se ajustam para dormir mais cedo”, diz. A dica do profissional é observar a média de sono dos três dias anteriores à mudança nos relógios e manter o ritmo.

Saúde em geral , , ,

Comments are closed.