10 de novembro: Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez

surdez mão em concha no ouvidoEste dia foi reservado para destacar um problemas que poucos se dão conta: a perda auditiva é uma das deficiências mais comuns na população brasileira.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Otologia, de cada mil crianças nascidas no país, de três a cinco nascem com deficiência auditiva. Já a Organização Mundial da Saúde afirma que mais de 15 milhões de brasileiros têm problemas auditivos.

Quando de origem genética, a surdez pode ser detectada nos primeiros dias de vida e tratada com sucesso. O teste da orelhinha – um exame rápido e indolor – pode resgatar a audição em quase 100% dos casos se realizado nos primeiros seis meses de vida. Mesmo com o envelhecimento natural dos órgãos na terceira idade, é possível conviver com a perda auditiva e conquistar qualidade de vida por meio de tratamentos ou mesmo revertê-la com o uso de dispositivos eletrônicos como o implante coclear.

No entanto, os elevados níveis de poluição sonora presentes nos dias de hoje tornaram essenciais as práticas preventivas para se manter a audição saudável. Uma pessoa não pode ficar exposta a uma atividade sonora de 85 decibéis por mais de oito horas (ruído de uma avenida movimentada), tempo que cai para quatro horas em aos 90 decibéis (pátio de um aeroporto), duas horas para 95 decibéis (aparelhos sonoros portáteis no volume 5) e uma hora para 100 decibéis (shows de rock).

Marque uma consulta com nosso corpo médico pelo telefone (11) 5522-3077 ou pelo nosso formulário de contato para realizar uma audiometria e, assim, descobrir se você possui algum nível de surdez e já adotar um tratamento adequado.

Audição , , , , , ,

Comments are closed.